vendredi 22 mai 2009

Vida por demais virtual


A luz se apaga lentamente à frente e o que está em cena é a carência revestida de supra sumo informativo... como se a vida fosse uma mistura de dizeres e ruídos e gestos para o ser ser sempre visto. Tanto se fala e se contrói pensamentos, diretrizes-visões, ideias-ideais, a vida...

A vida, aquela que acontece a todo minuto, a todo sentimento, a todo vazio, a toda falta, todos os dias e noites, todas estações partidas e chegadas... aquela que não está no reality show, não está no palco nem no twitter, nõ está no blog nem no currículo, a vida... os amores, as conversas de olhares e tatos, o frio no estômago, não porque alguém concordou ou discordou de um discurso, mas o frio causado por aquela vontade de se entregar ao outro e, por consequência, entregar-se a si, ao mais profundo de si, de nada vale os dizeres sem os sentires, de nada vale o virtual sem o real...

O real nas entrelinhas dos gestos, depois da cena, antes do discurso, de luz apagada, além do palco, de portas fechadas, no lado obscuro de cada dia, o real frente a tela ainda sem tinta, o clarão de pensamentos ansiosos de cada noite, o nu e real da vida.
por Tatiares

lundi 18 mai 2009

Ter certeza das incertezas

A certeza do medo perante o futuro incerto.
O presente concreto contra o futuro abstrato.
A abstração dos sentimentos alheios junto aos sentidos próprios.
Saber do que já aconteceu e pensar nas possibilidades do que irá acontecer.
E o melhor! saber que são inúmeras...
por Tatiares

mercredi 13 mai 2009

Le bleu-rose d'Amélie

Luzes amarelas se ascendem em postes cinzas, é o acordar da cidade para a noite enluarada.

Noite que começa com um pôr-do-sol-rosa-azul de nuvens espalhadas como vindas de um sopro de algodão-doce.

A cor do pôr-do-sol já mostra a chegada do inverno tropical de dias ensolarados com céu-azul-celestial e noites-frias estreladas.

Gosto do acordar automático da cidade ao fim do dia com sabor de começo dos momentos de prazer, pois à noite se pode mais, se tem mais tempo para admirar o que se gosta, se se permite mais vontades.

Antes tivessem os dias mais das noites, mais das vontades, mais do se permitir, mais dos pequenos prazeres d'Amélie. Gosto dos meus dias mais parecidos com noites-estreladas e nuvens vindas de um sopro de algodão-doce de um céu-azul-rose, como la vie en bleu-rose.
por Tatiares

mardi 12 mai 2009

Nota de roda-pé


Nota se anota no detalhe
no canto debaixo de lado
de canto remarcado
une remarque
Nota de roda-pé
ao pé escondido deitado
aos olhos dos curiosos
un rappel
apelo aos amantes do conhecer
sonoro aos ouvidos dos savants
une note de bas
embaixo
no pé da orelha do livro.
por Tatiares