mercredi 3 mars 2010

Ode ao vinho regado à amizade

Hoje faço uma homenagem aos bons amigos, vinhos e conversas... ao viver dos pequenos e belos prazeres.

Neste ano ganhei, de presente de aniversário, de uma grande amiga e companheira no degustar do vinho e de bons momentos da vida, essa poesia de Fernando Pessoa que aqui compartilho para deleite dos apreciadores dos melhores sabores do viver!



Não só vinho, mas nele o olvido, deito
Na taça: serei ledo, porque a dita
É ignara. Quem, lembrando
Ou prevendo, sorrira?
Dos brutos, não a vida, senão a alma,
Consigamos, pensando; recolhidos
No impalpável destino
Que não ’spera nem lembra.
Com mão mortal elevo à mortal boca
Em frágil taça o passageiro vinho,
Baços os olhos feitos
Para deixar de ver.

Não só vinho - Fernando Pessoa