vendredi 30 septembre 2011

brevidade

A manhã clara en tête
de uma brisa fraîche
dans les oreilles, Mulatu Astatke...
um supense em aconchego breve.

O ciclo em seu reciclo retorno.
Outono
(...)
Tudo antes verde agora em tom
                                        dourado envelhecido
faz-se velho pelo passo no tempo
a regenerar-se.

Outra manhã bête
da brisa agora, leve.

por Tatiares

lundi 12 septembre 2011

Vem diplomado na próxima encarnação?

Ter o quê? neste mundo passageiro…
estamos aqui de passagem e mesmo assim,
mesmo com tão pouco tempo frente ao tanto que se pode querer,
                                                                                              ser
mesmo assim,
escolhe carregar coisas e culpas e mais coisas,
mesmo assim, com tanta atitude ruim,
compensa a balança colocando mais peso,
novos truques ditos tecnológicos, ‘haute gamme’
que mostra bem o salário que tem,
sem ninguém perguntar.
Dizem que não têm opção:
Que pra se dar bem na vida,
tem que ralar, tem que querer mais que os outros,
demonstrar interesse e ser sério 
                                                  (sem se dar conta da direção do vetor)
e se colocar na posição — sem saída,
como se isso não fosse escolha, porém, saibam:
isso também é uma escolha;
daquelas bem do tipo, os outros, que estão no inferno,
                                                               que se virem.

O jovem engenheiro com enorme potencial, (ideologia?)
chega afoito em busca do salário, e de muito trabalho...
                                                            porque está fazendo a sua obrigação,
                                                                                               no mundo cão.
                                                                                             Cheio de ilusão.
Você acha muito trabalhar 9h por dia? Perguntaram.
— Sim, acho brutal, e eu trabalho menos porque alguém precisa ser resistente
                                                                         pra lembrar aos outros que a vida passa,
                        o modelo de eficiência te esgota, te massacra, te usa e depois te rejeita.
                                                                                          E o diploma não é sinônimo de
                                                                                                         evolution, baby!
Ou vai dar carteirada na próxima encarnação?


por Tatiares

vendredi 9 septembre 2011

Semear o permear

O esforço nas costas da pilastra que edifica.
A ponta de uma agulha a trilhar os sulcos.
O moderno do tempo que passa rápido demais.
Tudo isso a afetar a mim e a todos;
a necessidade de sentido ao redor de cada dor.

L’or qui est aussi précieux que les choix,
só si se sabe do valor a dar,
e cada qual com seu aval — unique.
Je ne me demande pas si tu as bien choisi,
                                                              (je te fais confiance)

Alors, por que o porque dos meus porquês?
Ofereço meus porquês ao universo
                                                  na ânsia de contribuir e ir.

Das possibilidades, fazer o oportuno —
                                                           triunfo daquele que não tem medo
                                                                         nem de si, nem do mundo.
Medo tenho é da bobagem em escolher um lado, um exército,
                                                                          pra lutar por
                                                      que não seja o bem maior.

Digo não a qualquer exército: seja de artista, pedreiro, engenheiro,
                                                                           cientista, sapateiro,
                                                                     comunista, maconheiro,
                                                                        colunista, corriqueiro,
                                                                        capitalista, inzoneiro,
                                                                                rico, maloqueiro,
                                                                             indie, empreiteiro.

                         Não tenho grupo — permeio.


por Tatiares

jeudi 1 septembre 2011

Ciclos



Induzia, por assim dizer,
a chuva que assistia…
da janela e por entre as folhas
das linhas paralelas em árvores
via a via férrea.

Som de gota d’água
em metal sustenido
um vendaval no sossego do meio da tarde
(...)
cabelos e folhas aos pequenos rodeados tornados ventos...

sabia que tudo rodava mesmo
é meio que um princípio da existência
giratória história
presente-futuro-memória.

por Tatiares