lundi 12 septembre 2011

Vem diplomado na próxima encarnação?

Ter o quê? neste mundo passageiro…
estamos aqui de passagem e mesmo assim,
mesmo com tão pouco tempo frente ao tanto que se pode querer,
                                                                                              ser
mesmo assim,
escolhe carregar coisas e culpas e mais coisas,
mesmo assim, com tanta atitude ruim,
compensa a balança colocando mais peso,
novos truques ditos tecnológicos, ‘haute gamme’
que mostra bem o salário que tem,
sem ninguém perguntar.
Dizem que não têm opção:
Que pra se dar bem na vida,
tem que ralar, tem que querer mais que os outros,
demonstrar interesse e ser sério 
                                                  (sem se dar conta da direção do vetor)
e se colocar na posição — sem saída,
como se isso não fosse escolha, porém, saibam:
isso também é uma escolha;
daquelas bem do tipo, os outros, que estão no inferno,
                                                               que se virem.

O jovem engenheiro com enorme potencial, (ideologia?)
chega afoito em busca do salário, e de muito trabalho...
                                                            porque está fazendo a sua obrigação,
                                                                                               no mundo cão.
                                                                                             Cheio de ilusão.
Você acha muito trabalhar 9h por dia? Perguntaram.
— Sim, acho brutal, e eu trabalho menos porque alguém precisa ser resistente
                                                                         pra lembrar aos outros que a vida passa,
                        o modelo de eficiência te esgota, te massacra, te usa e depois te rejeita.
                                                                                          E o diploma não é sinônimo de
                                                                                                         evolution, baby!
Ou vai dar carteirada na próxima encarnação?


por Tatiares

2 commentaires:

  1. O sentido da vida é bem mais profundo que uma função social a se exercer, claro que também há nisso, uma análise sociológica que precisamos fazer, frutos de um tempo, reproduzimos muitos vezes formas de relacionar-se com o mundo e com as pessoas, que nem é nosso, desconstruir é o caminho, longo e árduo, mas vale a pena, nossa vida, nossa paz, nossa felicidade está em jogo,né? Tchau!

    RépondreSupprimer
  2. Tatiares, li seu livro cinco vezes. Não está existindo cortes. Talvez esteja eu tímido, pois os poemas são muito bons. Ficou injusto cortar palavras, mas vou ousar mais uma vez. Mandaste um livro lapidado. Você terá uma surpresa quando ler.

    Um abraço a todos aí.

    RépondreSupprimer