mardi 29 juin 2010

Rêve d'une soirée d'hiver

Tinha um fogo vivo, meio apagado
podia ser temporário ou transitório,
mas, queria mesmo era atenção e marasmo.

Passava dias e turnos a louvar a prórpia solitude,
quase não falava, de vez em quando, cozinhava.
Tinha mania de perseguição, ah tinha! não tinha.
Tinha muito pesos nas costas e pouco contato com o delicado.

Muros e diques, pra quê?

Ventos, ares de mudança e vivacidade. O leve... ahh o L e V e !
de uma pena, de uma carícia, de uma alma.
De um navegar flutuante e velejante
no aerado todo azul-piscina-mar
no horizonte, dois perfis em uma jangada
vaga onda ensolarada - época dourada.

Quer caminhar na beira mar?



por Tatiares

1 commentaire:

  1. Esse poema denota a mudança do aspirante-escritora para o termo escritora, logo sua modalidade de escrita mudou. Um novo modo de postar suas ideias surgiu, o sentimento transborda verdade e por fim o poema se tornou uma maravilhosa leitura. Parabens e tudo de bom nessa vida.

    RépondreSupprimer