jeudi 7 juillet 2011

Cotidiano

Nas cores de um dia duro
boro, sódio e água
se fazem em branco
alcalinidade numa tarde cheia
de seu âmago incerto e mudo nos sentidos.

A balançar, a cidade me motiva
ver derrière les montagnes
do alto das questões ao lado dos tormentos
o vento a lamber as folhas do exterior
árvores de dúvidas ramificadas, finas
tramway de trilhos quebrados, apesar de paralelos.

Respostas básicas supririam a pergunta
sob o sol das frutas de um julho assim suculento?

Quando se sentir sinistro,
apita pro ar em movimento,
mostra a pele oxidada,
sulga o gosto do próprio veneno
pra imunizar da mordaça
à guérir o luto
entraganhado no gás denso e,
danse para as cores de um dia tenso.


por Tatiares

Aucun commentaire:

Enregistrer un commentaire