lundi 8 août 2011

Believes


Pode até ser que querem a mesma coisa…
acreditamos, sim queríamos se quiséssemos.
...e o quê poderíamos fazer?

What could I do for you? Do you really know?
What do you want from me besides my incomprehension?
… my dark thoughts after a nonsense word?
… all my sorrow, my misery?
Qu’est-ce que tu sais à propos de mon amour ?
L’amour, mon amour, ça te va comme ça ? ça suffit ?
Pas pour moi, l’amour ne me suffit jamais,
 il me faut toujours plus…

Mais amor, se há tanto amor,
Sobra amor pr’além das intimidades déjà existentes?
Porque ter intimidade com o que se cresce com, é fato,
agora, ter intimidade com o que se escolhe com, isso é arte,
demanda criação... querência, e nunca basta,
precisa d’arroser todo dia, saborear todo bendito dia.

Só assim há de haver crença
no além desse mesmo dia.
... e o quê podemos fazer?

por Tatiares

1 commentaire:

  1. Seu livro começa nascer. Depois me passa como fala isso em frances. Abração.

    RépondreSupprimer