mercredi 2 janvier 2013

Outro

Móvel
movo-me,
movem-se também as nuvens
fios de um condensado, tecidos
                                     nada denso − via-se através
a flutuar, ao movimendo do ar
                                      fresco ao revés.

Esse é o cheiro do sentir desse momento,
início de algo contínuo, num ciclo retorno,
de um novo começo
                        reverenciado seja outro
                             nada mais do mesmo.

Tatiares

1 commentaire:

  1. Sinestésico e bem escrito, você sempre a evoluir suas palavras. Quando verei em meu trabalho um livro seu? Quando as livrarias vão ter este gosto? Parabens poeta.

    RépondreSupprimer